Patrono do GEAr


Doutor Joaquim Pedro Salgado Filho

Primeiro Ministro da Aeronáutica

SalgadoFilho1

No ato da criação do Ministério da Aeronáutica, assumiu o Dr. Joaquim Pedro Salgado Filho, escolhido pelo presidente Getúlio Vargas para dirigir os destinos da Aeronáutica Brasileira numa fase delicada e num período de muitas responsabilidades, como o foi o da II Grande Guerra.

Filho do Coronel Joaquim Pedro Salgado e de Maria José Palmeiro Salgado, nascido em Porto Alegre, em 02 de julho de 1888, formou-se em Direito em 1908 e dedicou-se mais tarde à política.

Ocupou cargos de grande importância na vida pública do país: Ministro do Trabalho de 1932 a 1935, Deputado Federal em 1937.

Ministro do Superior Tribunal Militar de 1938 a 1941, Ministro da Aeronáutica de 1941 a 1945 e Senador pelo Rio Grande do Sul de 1945 a 1950.

Na sua gestão revelou-se grande administrador, conseguindo encontrar soluções adequadas para os complexos problemas decorrentes da expansão do Ministério da Aeronáutica e da Força Aérea Brasileira. Destacou-se como chefe hábil e conhecedor dos problemas de liderança, pois, ao enfrentar delicadas questões, resultantes da fusão de duas corporações militares, sempre soube fazer-se respeitar e, acima de tudo, mostrou-se um homem dotado de excepcionais qualidades morais, enérgico, nas poucas oportunidades em que teve necessidade de sê-lo, mas sempre pronto a considerar os aspectos humanos dos problemas dos seus subordinados.

Reorganizador do setor aeronáutico, foi durante a sua gestão que a Força Aérea Brasileira se engajou na proteção aérea à navegação costeira foram criadas as Bases Aéreas de Recife (24 jul. 1941), Natal (02 mar. 1942) e Salvador (05 nov. 1942) instituída a denominação dos postos da hierarquia militar na FAB (22 maio 1941) criadas as Zonas Aéreas, o Corpo de Oficiais com seus vários Quadros aprovado o Regulamento do Tráfego Aéreo fundada a Associação dos Aeronautas criado o 1o Grupo de Aviação de Caça, a Unidade Aérea que, junto com a 1a Esquadrilha de Ligação e Observação, participou da campanha da Itália além de outras importantes realizações.

Por seus relevantes serviços à Nação, Salgado Filho recebeu inúmeras condecorações, destacando-se as seguintes comendas e títulos estrangeiros: Grã-Cruz da Ordem da Benemerência, de Porugal (1933) Grã-Oficial da Ordem Nacional del Mérito, do Paraguai (1941) Condecoração “Al-Mérito”, do Chile (1944) Grã-Cruz da Ordem “El Sol del Peru” (1944) Grã-Cruz da Ordem do Mérito Militar, da Bolívia (1944) Grã-Oficial da Ordem Nacional “Al Mérito” do Equador (1944) Grande-Oficial da Ordem do Mérito Aeronáutico (1951) Grã-Cruz da Ordem do Condor de los Andes (Bolívia) Grã-Cruz da Ordem do Libertador da Venezuela Conselheiro Honorário da Câmara do Comércio do Japão e Sócio Honorário da Union Social Americana.

SalgadoFilhoPermaneceu à frente do Ministério da Aeronáutica até 30 de outubro de 1945, transmitindo o cargo ao Brigadeiro Armando Figueira Trompowsky de Almeida e retornando à advocacia.

Faleceu em 30 de julho de 1950, em um acidente de aviação, quando realizava campanha política no Rio Grande do Sul, deixando um raro exemplo como administrador e político, tendo-se revelado o homem certo para o lugar certo e na ocasião mais oportuna.

Fonte: http://www.fab.mil.br/portal/personalidades/sfilho/index.htm